sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Le chateau de Julie




Algumas imagens do Castelo de Julie onde dormimos no regresso a casa. Jantámos no hotel e foi agradável perceber que havia uma família portuguesa com um menino que emprestou os seus carrinhos ao nosso bebé assim como uma família italo-espanhola. Apesar da estadia num castelo, o ambiente era adequado a famílias com crianças.
Quem nos recebeu foi muito atencioso, uma senhora holandesa que vive em frança, despretensiosa e que faz o seu trabalho com prazer. O jantar foi delicioso, e bebemos o vinho produzido pelo Chateau de Julie com o mesmo nome. Pequeno-almoço, não de rei mas correcto. Havia tudo o que precisavámos e especialmente o croissant.
Ao sair, não voltámos logo para a autoestrada e descobrimos umas aldeias amorosas. Temos muita vontade de passar mais dias na região de Bordéus. O ponto mais alto, foi o facto daqueles dois burros terem vindo ao nosso encontro para nos dizerem bom dia ou melhor bonjour.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Aventuras


Não posso dizer que seja artista nem muito experiente com as mãos para trabalhos manuais. Até gostava mas parece qu enão fui brindada desse dom.
Num sábado antes de ir de férias, desafiada por uma amiga fomos fazer uma sessão de pintura de cerâmica. Reserva-se uma sala, escolha-se a peça que se pretende pintar. Há tantas, que é difícil escolher.
Eu optei por um mocho mealheiro para o baby D já que ia fazer anos. Depois disso é escolher as cores e ir pintando consoante a sua vontade. O meu mocho é bem amador em relação a algumas amigas que já vieram pintar n vezes. A sala ficou reservada para nós durante 3 horas, podendo parecer muito tempo, a verdade é que entre conversas, dúvidas sobre as cores e o pintar efetivo, o tempo voa. Para além disso, senti que foi uma forma de relaxar apesar de também requerer alguma concentração nos detalhes.
No final, a peça ainda fica na loja para ser cozida. Quando a pintamos, as cores não se parecem com o resultado final. Eu sabia que iria ficar azul clarinho, mas o R pensava que seria branco. Este é assim o primeiro mealheiro do baby D, ainda vazio de moedas e fora do seu alcance.
Saí de lá com a vontade de voltar, especialmente como programa de inverno.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Feito à mão


Das prendas especiais feitas à mão pela minha tia. Uma moldura de menino e um saco para a escola, lanche para o aniversário do baby D. Acho muito mais piada a prendas feitas à mão, por serem originais e apoiar ao mesmo tempo os artesãos. São prendas feitas com carinho e dedicação.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Dentes 7 e 8

Há já muitos meses que nenhum dente despontava, aquando das férias na islândia pareceu-nos que vinham aí mas foi falso alarme. Agora nas férias a portugal consegui ver a pontinha dos dentes nº 7 e 8. O baby D não está a sofrer nem tem sintomas de mal estar, apenas punha a mão na boca e agora nem isso.
Nestas férias aroveitamos também para que o baby D tivesse a sua primeira consulta na nossa querida dentista. Foi apenas um check-up para ver se estava tudo bem e se estavámos a proceder corretamente em relação à sua higiene oral. A forma que conseguimos convencê-lo para abrir a boca foi colocá-lo na marquesa e senti-la subir. Ficou logo interessado no equipamento da dentista!
O baby D tem dentes desde o 4º mês e nessa altura começámos a higiene oral com compressas. Depois passámos pela escova, e agora com pasta dentífrica adequada.
Ele está habituado e faz até os movimentos. É tão giro vê-lo imitar-nos na hora de escovar os dentes em família.
A nossa dentista não nos recomendou nenhuma pasta em concreto, basta ser adequada à idade do bebé ou da criança.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Regresso

Estamos de regresso. A viagem decorreu sem pressas, demorámos 3 dias para não cansar demasiado o baby D que mesmo assim se aborreceu um pouco do carro. Em cada paragem, muita brincadeira. Voltarei às nossas férias, às festas de aniversário do baby D. Hoje o dia tem sabor de regresso às aulas por causa das férias terem terminado e na verdade o ano escolar já começou por aqui. 
O dia de hoje tem sabor agri-doce como todos os regressos por deixarmos os nossos familiares e amigos para trás. Mas também sabemos que passa.